quinta-feira, 22 de dezembro de 2005

Primeiro Mês

Já fizeram um mês no passado dia 11, mas só ontem é que foram à consulta de pediatria. "Estão muito boas"- disse o Dr. - estão num bom desenvolvimento e têm vindo a engordar todas as semanas. Agora a Joana pesa 2,400 gr e a Sara pesa 2,600 gr. Parece pouco mas no caso delas é perfeitamente normal... nasceram com pouco peso por isso a recuperação vai sendo progressiva.
Nestes últimos dias as cólicas voltaram a chatear mas elas até se têm aguentado na medida do possível. São umas valentes. Por falar em valentes, também o foram quando levaram as primeiras vacinas. Deram um berrozito no momento da agulha picar e depois calaram-se logo. E apenas por graça, a enfermeira que as administrou tinha uma irmã gémea. Que coincidência! Enfim, houve tema de conversa.....
Outro pormenor delas é o facto de já estarem mais atentas às nossas vozes. Já nos seguem, tanto pela voz como pela nossa "mancha".
A Joana gosta muito da chucha para adormecer e a Sara também. Uma coisa engraçada é que a Sara agarra na argola da chucha. Por vezes até prefere segurar mais na chucha que propriamente estar com ela na boca. Estão muito fofinhas.
Agora vão passar pelo Primeiro Natal que é mais especial para nós.
Elas são as Nossas Melhores Prendas!!!

2 comentários:

Filomena disse...

A letra é dos Da Weasel, mas é tudo o que um Pai / Mãe sente.

Joaninha (Bem-Vinda!)

Album: Re-Definições :: EMI-Valentim de Carvalho

13 de Novembro, 4 da tarde, faz frio lá fora
o ano é 2002 e acho que já te disse a hora
o lugar é Lisboa ao pé do parque das nações
o mundo é teu, já te explico as razões e senões
deste lugar onde vieste parar sem saber como
sê bem-vinda ao jardim, eu serei o teu mordomo
eu sou o gajo do chapéu azul-bébé como tu
no meio da confusão que luta pelo teu olhar nu
não nos leves a mal mas deixaste-nos perplexos
tens vinte minutos de vida e fazes estragos complexos
com essa língua de fora e os olhitos bem rasgados
hás-de dar dores de cabeça até aos mais preparados
como o teu pai que tá histérico, vestido como um doutor
esse a quem agora tiraste toda e qualquer dor
há de stressar contigo vezes sem conta, acredita
o amor é um gajo estranho, às vezes até irrita
por isso vai-te habituando a ter muita paciência
somos todos complicados e é preciso ter experiência
para atinar neste planeta a quem chamaram Terra
sem darmos bem por isso aí vem mais uma guerra

Vivemos na tuga, um país que até é bem tranqüilo
Se me dessem a escolher não dava um vacilo
Não é perfeito nem nada que se pareça
Ainda depende de nós para que muito aconteça
O que acaba por ser porreiro porque te dá motivação
Não temos nada garantido na palma da mão
Há mesmo sítios onde a esperança quase já não existe
O que vale é que há sempre alguém que resiste
E insiste em fazer a diferença para melhor
Dá tudo por tudo com muito sangue e suor
Com tanta pressa que tiveste para cá chegar
Só posso acreditar que tenhas muito para nos dar
Pareces-me rebelde e é mesmo isso que se quer
És joaninha de nome mas já vejo uma mulher
Venha o que vier o amor é incondicional
Podes contar comigo quando tudo te parecer mal
É natural, quer dizer que não andas a dormir

Não há nada pior nesta vida do que não sentir
Queria dizer-te tanta coisa, mas ainda nem me vês
E o tempo há-de trazer todos os teus porquês
Há bocado fiz umas contas e senti-me mal
Quando tiveres dezoito eu vou ter quarenta e tal
Tenho medo de não perceber o teu mundo nessa altura
Mas o feeling que sinto não é sol de pouca dura
E por muito cota e datado que te possa parecer
Fui e sou mais janado do que gostava de ser
Por isso tá à vontade, manda vir que eu aguento
No mínimo posso tar se calhar um pouco lento

Mamãe nas nuvens disse...

Olá,
Descobri o teu blog e agora passo a te visitar mais vezes.
Beijos
Sol e anjinhos